domingo, 28 de setembro de 2008

Experimentações!

Eu tenho um sério problema com meus impulsos. Eu os sigo. Basta eu botar na cabela que vou fazer uma coisa eu vou e faço. E nem sempre isso resulta em algo bom. Desde criança sempre fui doido pra trabalhar em circo, essas coisas. Achava incríevel ter habilidades tais como cospir fogo, andar de perna-de-pau, "balangar" no trapézio, coisas assim... O trapézio que monteino abacateiro do sítio de minha avó, onde morei atpe os 16 anos, me deu um tombo que quase quebro o pescoço. Além disso, minha avó batia na gente quando a gente se machucava, pra aprender a não se machucar mais. Anos mais tarde, tentei a perna-de-pau, outro tombo e outra coça bem dada. Parei com as minhas tentativas de ser um saltimbanco. Aos 17 anos, já aqui em Sampa, fui testar minha habilidade na pirofagia, não tem nada a ver com engolir pirocas, é engolir fogo- ou cuspir! Estava ligeiramente alcoolizado, o que quase fez de mim uma tocha humana. Peguei o vidro de álcool Zulu, enchi um copo e abocanhei o máximo que podia. Acendi um troço qualquer, apaguei a luz e dei uma "guspida" o fogo pegou no álcool, e pulou na cortina de poliéster da cozinha, que instanataneamente virou uma massa disforme pendurada num pau. Um dia, aí já com uns 20 anos, também meio embriagado, queria saber asensação de se andar nu pelas ruas. Acho q foi porque tinha acabado de ver aquele filme com o Cláudio Marzo, se não me engano. Morava na zona leste na época. Pegeuei um casacão, tirei toda a roupa e joguei o casaco por cima. Desci com o casaco e um par de havaianas. Devia ser umas duas da manhã. Cheguei no ponto do ônibus da Av. Sapopemba, emfrente às Casas Bahia do Grimaldi, depoistei o casaco lá e, cheio de coragem, dei uma corrida em ziguezague até a entrada do Wall-mart, com o pinto chicoteando a virilha. Não sei se a aventura me cegou, mas não me lembro de ninguém ter visto a cena. Voltei correndo pra casa e quase esqueço o casaco no ponto do ônibus. Dormi como um bebê naqquela noite, coberto com o tal casaco e com a sensação de missão cumprida!

7 comentários:

Cesar Barbato disse...

Afff... só vc mesmo!
Mas não vou negar que já tive essas crises de falta de pudor no Canadá... queria de qualquer jeito tirar uma foto pelado na neve, mas como não podia tirei de shorts rsrsrs... quam sabe eu não tente na Av. Sapopemba
hui rsrsrs

Cláudio disse...

Hahahaha
Muito bom!!!
Imagino eu que não estava frio, né?! Haja vista os fatos narrados e tal. :x
hahahaha

Bill. disse...

meu jezuis
é amore... você me dá mais medo a cada dia
AUSAHSUAHSUAHSAUHSUHAU
e como eu sempre digooo seu safaaaado :p

amo você seu maluquinho :)

Fabi disse...

Ah, como eu queria estar passando perto na hora... rs
Já tive vontade de fazer muita coisa, tô me divertindo agora, depois de balzaca =P
Beijas!

vicmatos disse...

qdo tinha uns 13, 14 anos, e meus pais passavam o dia fora, eu tirava a roupa e andava pelado pela casa e pelo quintal... era tããão gostoso...

até q um dia a vizinha xeretona enfiou a cabeça por cima do muro e quase me viu... fikei com o cuzinho na mão, literalmente...

nunca mais pelado fikei no quintal...

val maria; disse...

pudor é uma palavra que eu não trabalho com muita frequencia, então você virou meu ídolo! HAHAHAHHA

pelada só ando dentro de casa mesmo, e olhe lá.

Ravel disse...

já disse né?