quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Sobre a dor...

Muito pequeno aprendi o que era a dor... Qualquer coisa que se fizesse em casa era motivo pra apanhar. Já apanhei de cinta, de chinelo, de vara de marmelo, de correia de motor, de cabo de vassoura, de pedaço de pau. O que me doía mais, é que quem fazia isso comigo era a pessoa que eu mais amei, e que amo até hoje. Me lembro que às vezes eu me encolhia no chão enquanto apanhava tentando me proteger das pancadas que vinham como uma chuva de pedras. Um dia resolvi gritar, numa tentativa de intimidar o agressor:
_Desgraçada! Tomara que eu morra e tu vá pra cadeia apodrecer no xilindró!
Apanhei dobrado por praguejar e ainda levei um murro na boca.
Uma vez, depois de ter feito algo errado, o que não era difícil aos olhos dela, eu fugi e me escondi no meio do milharal. Ouvia gritarem meu nome, mas o medo de apanhar era tanto que nem me deixava respirar direito. Começou a anoitecer, esfrioou e eu resolvi voltar pra casa. Apanhei por ter ficado escondido e fui dormir sem jantar. Não por ser proibido de comer, mas por não querer comer a comida feita pela mão que tanto me machucava.
Outra vez eu corri quando vi que ia apanhar e enquanto corria, senti uma pancada forte e não lembro de mais nada. Como ela não podia correr, havia me jogado um pedaço de pau que acertou em minha cabeça e eu desmaiei. Quando acordei, desejei que tivesse morrido pra que aquilo parasse. Mas não parou... Enquanto eu vivi lá, minha vida foi assim... Acho que é por isso que, por mais que eu sinta saudade, eu não consigo ficar por muito tempo naquele lugar que um dia foi o meu lar.

12 comentários:

Everton disse...

Noss, Charlie, que tenso.
Não posso dizer q entendo, mas imagino como deve ser dificil, eu q por muito menos tenho receios enormes de muita intimadade com certa pessoa.

Mas acho que é isso que transforma a gente em pessoas mais fortes. Infelizmente.

Ugly Betty disse...

Que triste. Mas vc pode ter certeza que tudo isso serviu pra fazer de vc a pessoa linda que vc é hoje.

Há malas que vão pra Belém. Or something like that! ;)

=*

Carla Fernandes disse...

Todo guerreiro já ficou com medo de entrar num combate, já perdeu a fé no futuro. Por isso é chamado de guerreiro, porque passou por esses desafios e não perdeu a esperança de ser melhor do que era.


Acho que não preciso dizer mais nada né??Pelo pouco que te conheço vi que vc é uma pessoa especial.. Que só tende a ser mais e mais vitorioso.. soh tende a crescer, e acrescentar alegria na vida das pessoas...=D

Bjosss!!!

Lorena Pôssa disse...

Repito: Vc devia pegar esses textos e lançar um livro!

Gacta disse...

bi, vou chegar e dar um chá de picão na senhoura. tá precisada.

tinhamo, beijo.

Rubens Oliveira disse...

Faz 3 anos que não falo com meu pai.


Reflita.

Erikinha disse...

Prestarei o melhor serviço de que sou capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre resultado do esforço consciente e eficaz. Finalmente, perdoarei os que me ofendem, porque compreendo que às vezes ofendo os outros e necessito de perdão."
Mahatma Gandhi

Você é ESPECIAL demais...eu entendo isso as vz me da vontade de ir andando atras de quem me feriu...e sei lá enlouquecer...Mas não faço nada...

Adoro vc!!!

Zeitgeist_Sylphide_Gamzatty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zeitgeist_Sylphide_Gamzatty disse...

Se defender é um ato instintivo, mais ainda quando se é criança.
Não se sinta culpado por sentir o que sente, pois a pessoa que plantou vento, está colhendo a tempestade da solidão.
Continue plantando flores, porque vc merece ser feliz.

Nina disse...

Seus textos são tão bonitos, que doem.

Prolongam-se por horas...

Gosto muito, muito.

beijo

http://meninadecachos.blogspot.com/

William Pirola disse...

e-m-o-ç-ã-o!!!

ManuFuji disse...

Nossa, que triste. Deu um nó na garganta, maior vontade de chorar. Traumas de infancia. Tadinho!