domingo, 7 de dezembro de 2008

Sobre a solidão

Eu devia ter uns 8 ou 9 anos quando isso aconteceu. Era um dia frio, não tinha aula e eu não me lembro o porquê. Eu acordei um pouco mais tarde do que o de costume e não tinha ninguém do lado. Nessa época eu costumava dormir com minha avó. Me levantei, fui até a cozinha e nada. Andei pela casa, de cômodo em cômodo e não vi sequer uma alma. Procurei meus chinelos que estavam quase inalcançáveis embaixo da cama e os calcei. Saí correndo pela casa, abri a porta da cozinha e olhei para o terreiro que ainda estava enevoado. Realmente não havia ninguém. Teria eu sido abandonado? Aquela sensação me atravessou o peito, e já deseperado eu gritei:
_Mãe? Mãe?
_Estou aqui! Na horta!
Eu respirei aliviado. A poucos metros de mim estava ela, minha mãe-avó. Podia ficar tranqüilo, pois não estava mais sozinho.
Hoje eu acordei assim. Estava na casa de um amigo, e vim caminhando pelas ruas do centro. Pessoas passavam por mim sem rosto, como a névoa fria das manhãs no sítio. Tentei gritar, mas a voz adulta se embarga, já não sai mais com a facilidade de quando eu era criança. A mãe está longe, e mesmo que eu grite com todas as forças, ela não vai me ouvir. Mesmo cercado de gente por todos os lados, eu estou sozinho.
É... Não há ninguém na horta.

6 comentários:

AleX nObre ® disse...

Acho incrível como você consegue passar suas emoções pro "papel"! Eu não faria tão bem, apesar de às vezes me sentir assim como você se sentiu aquele dia e como às vezes se sente. Quanto mais eu vivo, mais eu acho que o segredo para se viver "bem" é aceitar que morreremos sozinhos (otimismo mode OFF) ... Mas não é verdade?!! A não ser que você morra em um acidente da Gol ;P

Anônimo disse...

olhou no pomar? garanto que não!

Tobias disse...

E vc tentou me ligar! Sorry pekeno Charlie :(
Da próxima vc grita perto da Amaral Gurgel.. alguma trava deve fazer ponto durante o dia ahuauhahua

João V!ctor disse...

tem dias que são assim porrake tb =/

Marcel disse...

Essa é aquela horta que vc falou que ficava na fossa?
Urgh... ahuauhahua
Brincando amor... escuta, bicha louca, pq vc num me liga?
Até onde eu sei esse findi era aquele que vc era meu, meu, meeeeeu (a la Dr. Abobrinha! hohoho)...
Vc ainda quer que eu vá buscar seu amigo no aeroporto no sabdo?
Troco por umas brejas na sexta... e mais um beckinho (eu levo!)! Topas?
Bjuuuuuuuuuuuu
P.s - Quem sabe eu não perdoo o fato do senhor não ter ido pra Trash comigo no sabdo? Hunft...

raull disse...

eu sempre vou estar na horta.
cultivando o amor, mesmo que este não vingue, nem dê frutos e venha a penar antes do tempo.

me grita, sempre que quiser, pq quando eu te grito, vc surge de dentro da névoa.

;)