domingo, 16 de setembro de 2012

Sobre o ódio


Hoje era pra ser um domingo normal, mas não está sendo. Quem está em São Paulo sabe que está um calor infernal. Eu e Johan levantamos cedo, tomamos café e fomos ao museu de insetos do Instituto Biológico lá na Vila Mariana. A temperatura já devia estar passando da casa dos 30 graus e eram ainda 11 da manhã. Comecei a me sentir mal. Paramos pra almoçar e decidimos ir ao IMAX Bourbon mais tarde. Depois do almoço, fomos direto comprar os ingressos pra garantir bons lugares. Nesse meio tempo parei umas 3 ou 4 vezes em lugares diferentes pra ir ao banheiro e levar o rosto, já me sentindo sem  forças e com sintomas de uma leve desidratação. Compramos os ingressos e fomos para o ponto do ônibus ali na frente do Bourbon mesmo pra pegarmos um ônibus que fosse até a Barra Funda de onde viríamos para casa. 
Ao chegar no ponto, a ponto de desmaiar de calor, me sentei e comecei a ler a programação de cinema para o mês quando ouço uma senhora falar para outra que estava de pé e eu não tinha visto:
_Pode sentar aqui, minha senhora. Esses daí não vão te dar o lugar mesmo. Depois eles exigem respeito.
A outra mulher sentou-se e, por um momento me senti envergonhado por não ter visto que havia outra senhora em pé, mas eu estava passando mal e entretido com a leitura e o Johan nem sequer notou o que estava acontecendo, por não ser daqui não sabe dos costumes. Logo a senhora que tinha acabado de sentar se levantou e entrou no primeiro ônibus, no que a outra disse:
_Vai no primeiro mesmo, né? Tem que ser assim, porque se depender dessa gente...
Eu me levantei porque meu ônibus se aproximava, dei o sinal para o motorista parar e disse para ela:
_A senhora é muito mal educada. Eu não tinha visto que havia mais alguém no ponto, estava lendo. Era só me avisar que eu me levantava e dava o lugar.
No que ela, com toda a classe de uma elefanta rolando ladeira abaixo disse:
_Você é um folgado, fingiu que não estava vendo. Por isso que tem gente que mata essa raça de vocês, bando de viados. Tem mais é que morrer mesmo! Eu adoraria viver em um lugar onde não tivesse que olhar para a cara de gente como vocês, de tanto nojo que sinto!
Fiquei cego de raiva. Fiz sinal para que o motorista continuasse e voltei para o ponto.
_O que foi que a senhora disse?- perguntei. Antes que ela respondesse, me veio uma cena à cabeça. No dia 11 de fevereiro de 2009, quando fiz 30 anos, enquanto meu amigo Israel me carregava bêbado no ombro, me levando para casa. Um cara abaixou o vidro do carro e disse:
_Vai dar a bunda, hein bichinha?
Prontamente eu respondi.
_Que Deus te ouça!
Esse homem deu a volta com o carro, parou e me deu um tapa no meio da fuça. Meu amigo foi me defender e levou um soco. Peguei o celular pra ligar para a polícia e levei outro no pé do ouvido e meu celular se espatifou. Ele voltou pro carro, pegou uma arma e nos ameaçou, disse que era da polícia federal e que da próxima vez poderia ser muito pior.
Essa cena toda voltou na minha cabeça hoje. Vi naquela senhora, aparentemente uma mãe de família e uma mulher digna e de respeito, o policial que me agrediu sem motivos. Respondi a ela em alto e bom som:
_Sinto pena de uma pessoa como a senhora, preconceituosa, suja e desinformada. Por causa de pessoas como você, que milhares de pessoas como eu são agredidas, torturadas e assassinadas todos os dias. Pessoas ignorantes, que não sabem o que um ser humano de valor. Pessoas que arrotam dignidade, mas fedem por dentro. Pessoas que frequentam igrejas e associações e se dizem pessoas de respeito, e saem por aí matando e ferindo com armas e palavras. Eu é que sinto nojo da senhora, uma mulher imunda.
Ao que ela me responde:
_Sou de igreja mesmo, mas não sou de associação nenhuma queridinho. Sou do TRIBUNAL DE JUSTIÇA e lá pessoas como você dão trabalho pra nós. Fazem a gente perder o nosso tempo com viadices. Tem que morrer mesmo e livrar o mundo dessa raça maldita.
Não vou escrever mais o resto da discussão, porque o negócio ficou feio. A ponto da tal mulher me encostar a mão na cara, ameaçando dar um tapa. Coisa que, caso ela fizesse eu revidasse e esquentasse a lata dela com minha mão, eu seria preso como agressor. As pessoas que passavam pela rua me viam assim, seus olhares davam razão a ela. Era uma bicha contra uma senhora de bem que trabalha no tribunal de justiça.
Aí me vem à cabeça que por duas vezes, pessoas que deveriam proteger a população e trabalhar para que eu possa ter meus direitos, me oefenderam e me ameaçaram. E depois, elas contam a sua versão dos fatos com orgulho, se sentindo vitoriosas. Por isso escrevi aqui. Quero que vocês que leram divulguem, para mostrar para as pessoas que ainda existe sim o preconceito, o ódio. E se porventura essa criatura for mãe, parente ou conhecida de um de vocês, meus sentimentos, pois ninguém merece ter na família ou por perto uma pessoa tão horrível e tão sem caráter.

48 comentários:

Maycon disse...

nem tem muito o que escrever depois de ler isso. vou compartilhar. só o que posso fazer.

abraços.

Heloisa disse...

Cara, eu não te conheço mas eu sou barraqueira. Sou hetero mas acho que independente de opção, respeito vem acima de tudo. Eu teria gravado a conversa e no final ainda ameaçado a processo. Levava na mídia, fazia o barraco mesmo. Falta isso nesse país, se na televisão mostrasse como quem tem um cargo e um emprego de respeito é nojento, sujo e não teve educação em casa, talvez esse país melhorasse em alguma coisa.

Heloisa disse...

Cara, eu não te conheço mas eu sou barraqueira. Sou hetero mas acho que independente de opção, respeito vem acima de tudo. Eu teria gravado a conversa e no final ainda ameaçado a processo. Levava na mídia, fazia o barraco mesmo. Falta isso nesse país, se na televisão mostrasse como quem tem um cargo e um emprego de respeito é nojento, sujo e não teve educação em casa, talvez esse país melhorasse em alguma coisa.

Nina Lessa disse...

Morro de vergonha de morar num lugar com gente assim, sabe?

Nojento.

Vou divulgar e tô com a Heloisa: processa porque é disso que esse povo precisa. Colocar a boca no trombone, jogar a merda no ventilador.

Anônimo disse...

Sinto pena. Pena dessa mulher nojenta e preconceituosa, pena de ti por ter que sofrer esse tipo de agressão sem motivo... É pena de ti também por morar em São Paulo. Pode até soar preconceituoso, mas não é. Morei aí 11 anos da minha vida e vi que a cabeça do paulistano médio é assim mesmo: Odeiam gays, negros, nordestinos... É um preconceito ensinado em casa, um lugar onde o "sabe com quem você está falando?" impera. A arrogância do paulistano é algo notável, pessoas que, como você mesmo disse, "arrotam dignidade mas fedem por dentro".

Como bem disse Crioulo, não existe amor em SP. Por isso eu fugi daí.

Aloísio disse...

me senti até mal lendo isso...

Mab disse...

Nossa, li e fiquei com muita vergonha. É uma pena que vc tenha que ter passado por isso, já que não foi a primeira vez e provavelmente não ai ser a última. Mas que bom que tem coragem suficiente para expor seu ponto de vista e mostrar o quanto essas pessoas são desprezíveis.

Anônimo disse...

bicho... essa gente se acha no direito de abrir essa boca imunda porque a gente dá um cartaz também...

na hora em que ela começou a falar, você já devia ter mandado o "e daí, minha senhora? tua opinião é importante pra quem? minhas contas estão pagas, sou respeitado pela minha família, foda-se a senhora. pode se rasgar de me odiar, faço o que quero da vida, não tenho ódio no coração e a sua opinião não influencia em nada em minha vida"

foda-se a opinião dessa gente. foda-se se não "nos aceitam". eu é que não quero ser "aceita" por uma gente triste e horrorosa dessas. não espicaça essa galera não, deixe-os rosnar.

é claro que eles podiam ser mais legais, mas porra, um bando de gente velha, que em breve vai morrer, cheio de ódio no coração. pensa assim, vai levando, tá melhorando e tenho fé, um dia essa gente se extingue de vez. força!

Fernando Xavier disse...

O marido dela a trocou por outrO, ctz! So um fone de ouvido te salvaria da lingua furiosa da véia!
Esse relato parece ficcao, mas infelizmente em 2012 ainda eh verdade!

Abraco!

Anônimo disse...

Alguem !que lamenta por ainda existir, seres tão despresiveis como esse,vamos imaginar juntos;Vc acha que se ela fosse algo ou alguem amada, ou vista por ser racional agiria dessa forma? claro que não! ela só faz parte da escorea que ainda habita o universo, mas que vai ter que fazer alguns ajustes pra que ainda possa existir por aqui,poque a terra sera protegida disso eu tenho fé. Dela e de tudo de ruim que por aqui se encontra.

Leh. disse...

Fico com vergonha do ser humano, moro em são paulo e tenho amigos homosexuais, amo-os de coração, nunca deixaria que alguma idosa e ignorante, que acha que tem todo o conhecimento do mundo só pela idade e que tem e acha que tem o direito de ser preconceituosa fizesse isso. Tenho vergonha de pessoas assim, mostra que o ser humano é sujo e nojento.

Jackie Nascimento disse...

Olha é realmente vergonhoso e triste que ainda existam pessoas como essa senhora! O pior é que existem aos montes! Mas não se pode abaixar a cabeça jamais, é preciso lutar contra todo o tipo de preconceito! O que falta ao ser humano, tãão evoluído, é empatia, é se colocar no lugar do outro, é respeitar as escolhas alheias...por isso prefiro os bichos!

Anônimo disse...

fiquei até meio enjoada lendo isso. eu nao consigo conceber essas coisas, ser humano ta perdido mesmo. me entristece tanto.
ja é terrivel ver qualquer tipo de pessoa passar por isso e ainda mais tu que é um doce. que bom que nao aconteceu nada de pior contigo, a gente nunca sabe o que esses animais podem fazer. e nao fica calado mesmo nao, mas toma cuidado porque temos muita salsa pra dançar ainda.

¡ya mucha honra!
beijo,
bu

Anônimo disse...

Juro que eu gostaria de ouvir a versão dessa senhora para a história...

Viviane disse...

Filha da putagem não tem idade nem religião.

Partilhando.

Anônimo disse...

Alguém escreveu isso em um dos comentários: "A arrogância do paulistano é algo notável", não são todos assim, aprenda isso, não fique generalizando...
Sou paulistana, sou negra e não sou filha da puta igual a essas criaturas nojentas que existem por aí, que arrotam não terem preconceitos, até participam da Parada Gay, mas na hora do "vamos ver", protagonizam uma cena como esta. Lamentável isso, essa cidade é cheia disso, infelizmente o nosso país também: falam uma coisa e na verdade fazem outra. Revoltante. Força aí, meu querido, nunca fique calado diante disso!

dneezy disse...

Incrível como uma falha de comunicação, o fato de vc não ter visto que havia uma senhora em pé, serviu de pretexto para a outra despejar tanto ódio reprimido.
A cereja do bolo vai pro fato de a mulher trabalhar no Tribunal de Justiça. De Justiça.
Uma cena pra acabar com o domingo de qualquer um mesmo.

Leslie**** disse...

Liga não, o problema desta mulher com certeza é falta de homem.já não deve ver um p... faz tempo!!

Cristiane disse...

Sinto muito que nosso mundo ainda seja tão preconceituoso. Meus sentimentos. Não a você. A essa senhora que está morta por dentro e ainda não sabe.

Anônimo disse...

Parabéns por sua força e por ter rebatido uma pessoa grossa e mal educada, que se acha a última bolacha do pacote por ser isso ou aquilo.

Vergonha de viver numa sociedade assim. Vergonha de ver que um ser humano ainda pode ser tão baixo e leviano como essa senhora.

Marco disse...

Viadagem é a dessa mulher que perde tempo com falta de solidariedade mesmo.

Uma pena que você, eu e tantos outros ainda tenhamos que passar por isso...

Anônimo disse...

Sinto muito por você ter passado por isso. Me refiro muito mais pelo seu aniversário de 30 anos, e não por uma desqualificada qualquer que tenha tentado te ofender. É triste ter que lidar com isso, mas pense que pra ela ter tanto baixo nível, é porque ela é tétrica, torpe e não deve ser levada a sério em lugar algum, para ter que ofender os outros na rua pra se sentir melhor.
Um dia ela apanha, vai presa, perde um ente familiar por uma morte lenta ou dolorosa, etc...não se preocupe, a vida dá o troco.

Anônimo disse...

Trabalho em serviço público e todos os dias me deparo com funcionários sem caráter, que deixam passar ou exercem todo tipo de falcatrua e abuso de poder. Nunca tinha me passado pela cabeça quem essa gente é fora dali, e isso me fez pensar. Eu tenho vergonha é dessa senhora, que é capaz de jogar nas costas do Judiciário, que deveria tratar a todos com igualdade, a responsabilidade pelo preconceito que ela tem.
Eu costumava pensar que o governo era uma máquina, que os funcionários eram robozinhos submissos e controlados. E hoje vejo que é bem diferente. É uma máquina que funciona de acordo com as atitudes dessas pessoas, talvez isso explique o porquê de funcionar tão mal.
Sinto vergonha de gente que diz acreditar no mesmo Deus que eu, e que faz isso, porque o Deus que eu acredito nunca aceitaria uma coisa dessas.
Sinto vergonha e quase vontade de te pedir desculpas pela atitude dela, simplesmente por dividir alguma coisa em comum com essa senhora.
E espero, de coração, que a sua vida seja tão boa quanto a dela é ruim, porque gente que é feliz não faz esse tipo de coisa.

Anônimo disse...

Lastimável....nessas horas tenho vergonha de ser mulher, mãe e hétero.Mas, sinto mais vergonha mesmo, de ser do mesmo gênero dela....ser humano....O animal , dito irracional, é muito melhor que nós. Com vergonha alheia, triste e solidária, só posso desejar a voce todo o amor e carinho.

Felipe disse...

Puta que me pariu. Esse tipo de relato me deixa muito triste/enfurecido. Nossa sociedade tá fodida mesmo.

Anônimo disse...

Muito triste. Lamentável. Repugnante.
Acredite, essa raça é minoria. Tem muita gente boa no mundo. Não desista de ser humano.

Regina disse...

fiquei tão triste que não tenho palavras. :((((

Ione disse...

Mantenha a calma garoto. Tudo o que mais desejo é que ela tenha muitos filhos e netos e metade deles sejam como nós. Huuummm, muito pesado???

Fran disse...

eu tenho muita vergonha de ser brasileira.

escolhi me relacionar o mínimo possível com a população pq em momentos como esse eu 'esfrego a cara da danada no asfalto quente'

já tentei entender, mas desisti!! só posso sentir pena, tentar fazer o meu melhor para mudar essa situação e compartilhar situações tristes como estas!

siga em frente pq esse povo é como 'ciscadinha de galinha'!

Anônimo disse...

Absurdo, meu caro. Recentemente fui alvo de um ataque homofóbico gratuito e senti essa mesma espécie de cumplicidade coletiva em relação à agressão. As pessoas ao redor não deram bola. Para não mencionar o completo individualismo daqueles que estavam comigo, com poucos querendo tomar partido contra o agressor. Em uma situação de flagrante e injustificável violência!

Anônimo disse...

Revoltante mesmo
Compartilhado

Tcheris Lorrane disse...

Que horror! Que triste saber que ainda tem pessoas com esse desrespeito todo pelo próximo. Independente da opção sexual, o respeito deve existir pra todos. Tô besta e triste com isso. Fica aqui meu meu apoio ♥ Beijos

Beatriz Suiya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatriz Suiya disse...

Nossa, que tristeza e revolta eu sinto após ter lido isso. Alguém que deveria lutar pela igualdade fazendo isso e ainda por cima um outro que deveria estar lutando pela proteção de TODOS cometendo tamanho CRIME. O que se faz quando aqueles que deveriam trabalhar para que coisas como estas não acontecessem fazem as mesmas coisas? Pra quem nós corremos? Um absurdo práticas homofóbicas ainda acontecerem, e pior acontece no mundo inteiro, o tempo todo. Que ignorância! Cara, todos somos da mesma raça, a raça HUMANA (Justiça seja feita contra essas criaturas que ainda matam e fazem essas atrocidades com o seu semelhante). O que vale é o que está no coração... Você é IGUALMENTE filho de Deus. A religião deveria pregar o amor a todos, o não ao preconceito, porque isso sim é AMOR DE VERDADE, COMPAIXÃO, SOLIDARIEDADE, mas não é assim que funciona, né? :/ Poxa vida, as pessoas muitas vezes são cegadas por coisas tão errôneas como esta e cometem essas atrocidades como a que você viveu. É tão triste como inúmeras vezes as pessoas lutam por seus direitos e acabam perdendo a vida por causa de pessoas más... Que você esteja protegido de todos esses males, porque o mundo precisa de pessoas como você para juntos mudarmos essa triste realidade!!!

Anônimo disse...

ai! tanto bafafá por causa de uma história boba dessas?eu hein

Nashala Goldar disse...

Nossa, nem sei o que comentar. Tenho vergonha de ser humana nessas horas... Terrível.
Desejo muita força à vc!

Anônimo disse...

Lamento muito, sinceramente. Dá até vontade de te pedir desculpas por ela, de tanta vergonha de fazer parte da mesma ignorante, preconceituosa e virulenta sociedade brasileira. :(

Tenho uma filha com Síndrome de Down. Ela felizmente é muito bonita e ainda pequena, por isso desperta ternura e sorrisos na maioria das pessoas. No entanto, quanto mais vai crescendo e se faz mais evidente sua deficiência intelectual, os olhares e comentários maldosos se tornam mais comuns, mesmo que por parte de crianças mais velhas. Crianças que não aprendem em casa a respeitar as diferenças. Crianças que se tornam adultos ignorantes e preconceituosos.

Um abraço fraterno.

Anônimo disse...

Por essas e por outras é que o Brasil não vai para frente. Somos uma nação hipócrita e cheia de preconceito.

Unknown disse...

Absurdo,estou horrorizada com tanta arrogância e ignorância.

Amor de Peso: Nossa Luta, Nossa Vitória! disse...

Como obesa mórbida sei o que é preconceito... dói. Atitude e dignidade. Vc tem, ela não! Um abraço! Siga sua vida, seja feliz, com certeza, gente assim (como ela, o policial), não são.

Anônimo disse...

Não dá pra acreditar que existem pessoas que são tão ou mais preconceituosas a ponto de postar um comentário como:

Anônimo disse...
ai! tanto bafafá por causa de uma história boba dessas?eu hein

História boba?
Bom, só posso pensar que são parentes, quem sabe até a Senhora Podre do Tribunal é mãe dessa criatura aí! Tem que ser farinha do mesmo saco pra postar isso! Achar que o relato de uma atitude preconceituosa é uma história boba só prova que compactua das mesmas idéias e ações. Só lamento gente assim!

Victor Vicentini disse...

É este tipo de atitude que faz a gente perder confiança na humanidade. E sinceramente acho que ainda vamos chegar ao fundo do poço. Lamentável.

Anônimo disse...

Que coisa. Mas a pergunta que não quer calar: aquele dia, que teu amigo te carregou, vc deu ou não a bundinha?

Rosa Borges disse...

Querido, não te conheço, vc não me conhece, mas a vergonha por essa sociedade nos une. (por favor perdoe qq erro de grafia, quando fico com raiva, digito rápido e troc as letras).
Que dizer de uma sociedade como a nossa? Ando cá me questionando sobre isso. Apregoam liberdade de minorias, dizem que abominam o preconceito e se pudessem, fariam um campo de concentração para gays, negros e outras minorias. Criminalizam aquilo que deveria ter ética. Mas cadê a ética? O que é ética? Virou livro de receita, normas escritas num caderninho que a sociedade deve seguir. Esta dentro do livrinho, está dentro do conceito de ética.
A escolha q vc fez cabe a você. A mim cabe apenas saber se vc é um bom ou mau caráter. É vc que me interessa, não sua opção sexual. Como é difícil entender isso! Como é fáil chamar outros de bichas, viados, sapatões... numa época tão cheia de estereótipos. Vergonha, sinto muita vergonha por algo que nem fiz. Peço desculpa por esta mente pequena, tentando acreditar que eles são poucos (mas vejo que aumentam exponencialmente). Temo, temo muito por esse autoritarismo social que vem impregnando a sociedade, advindo de uma camada de gente que se diz "cristão" (católico ou não), mas não segue o amor, que se diz "liberal", mas adora uma censura.
Paz e Bem pra vc. E juro, se fosse comigo, a falta de educação desta "senhora" mereceria um puta barraco! Eu podia apanhar, mas ela ia levar. Besos Rosa.

Fer disse...

Nem tem o que comentar sobre isso, mas tive que compartilhar... não dá, gente assim como essa mulher dá nojo. Só resta esperar que esse discurso morra com ela, e que as pessoas tratem como merece, na base do "aham, concordo, agora toma seu remedinho e vai dormir, vai".

Allan Lucena disse...

Não entendo qual a diferença que existe entre um homossexual e um heterossexual.

Na lei, somos iguais.
Na aparência, somos iguais.
Na biologia, somos iguais.
Nascemos iguais e morremos iguais.

Infelizmente é um problema de costume, cultura é uma das coisas mais difíceis de se mudar, e infelizmente temos muitos homossexuais que não ajudam, todos nós sofremos.

Eu não teria esquentado minha cabeça, só diria a ela:
Se é do tribunal de justiça como diz, sabe que somos iguais perante a lei, e que temos os mesmos direitos humanos. Já que somos os dois humanos. E se você nega isso, por favor, saia do seu cargo porque o Brasil é cheio de INJUSTIÇAS vindas de pessoas como você que trabalham com a justiça sem ser justos.

Pena isso ter ocorrido contigo.
Mas da próxima, não esquente a cabeça, seja humano e conhecedor dos seus direitos. ;)

Gaby Grecco disse...

"Pessoas que arrotam dignidade, mas fedem por dentro. Pessoas que frequentam igrejas e associações e se dizem pessoas de respeito, e saem por aí matando e ferindo com armas e palavras. Eu é que sinto nojo da senhora, uma mulher imunda."

IMUNDICE... É O QUE VIVEMOS.

PESSOAS VENDEM LATÃO A PREÇO DE OURO. HÁ QUEM PAGUE POR ISSO. POR ESSA IMUNDICE TODA!

MUITO BOM O TEXTO!

Raquel Bopp disse...

Revoltante!

Nojentas são as pessoas que pensam e agem assim.